Rebranding: 5 sinais de que é hora de refazer o branding da sua marca

Por Andrei W. Müller, | Categoria: Branding

Verificar o posicionamento e o alcance de mercado faz parte da rotina de empresas que já têm algum tempo de atuação, mas muitas vezes esse fato acaba passando despercebido.

O conceito de rebranding traz à tona exatamente isso, a necessidade de ocorrer um reposicionamento em um período adequado para realizar tais mudanças.

Mas qual é a importância disso para empresas de sucesso? Dentre as diversas respostas, uma das principais é a mudança do perfil do consumidor estar acontecendo cada vez mais rápido.

Tendências fortes hoje podem não se manter no mesmo padrão daqui a algum tempo, além disso, culturas empresariais consideradas sólidas atualmente podem não ter tanto sentido no futuro.

Por esse motivo, listamos 5 sinais de que é hora de refazer o branding da sua marca. Confira!

1. As tendências atuais estão distantes

Conforme citado, o mercado vive de tendências. Quando uma surge de maneira forte, rapidamente é percebida. Caso alguma delas seja da sua área e você ainda a vê distante do seu cotidiano, é hora de começar a repensar o seu posicionamento.

O atraso pode gerar consequências graves, como perda de clientes e o destaque dos concorrentes por terem saído na frente. Quando há uma soma de tendências não utilizadas, a coisa pode ficar ainda pior

Se você chegou a um desses pontos e se sente incomodado, tem o primeiro grande sinal de que é hora de fazer um rebranding.

2. O seu mercado está mudando

Qualquer nicho é mutável, alguns em menor e outros em maior grau, mas há períodos em que as mudanças surgem como uma avalanche: vem uma atrás da outra.

Ao perceber isso, é fundamental analisar quais se aplicam ao seu negócio e também identificar aquelas que possam agregar valor e não simplesmente ser mais um serviço no seu portfólio.

3. Concorrentes surgem como ameaça

A concorrência é natural e saudável em qualquer área, mas por diversas vezes ela pode surgir como uma grande ameaça.

Serviços inovadores, prospecção forte de clientes e experiência diferenciada são alguns dos exemplos que ajudam a caracterizar um concorrente como um potencial perigo para o seu negócio.

O rebranding surge como uma forma rápida de não deixar a tempestade chegar e causar grandes estragos. Ele ajuda a identificar os pontos que devem ser mudados, a fim de tornar essa ameaça algo mais distante.

4. Clientes estão exigindo inovação

Devido às diversas opções no mercado em praticamente todas as áreas, os clientes exigem cada vez mais inovação nos produtos e nos serviços oferecidos.

Quando isso ocorre em grande quantidade, ou seja, quando a mesma demanda é repetida diversas vezes pelos seus consumidores, é um grande sinal de que é hora de reposicionar a forma com que você se apresenta ao público.

Por isso, é muito importante sempre ouví-los e, mais do que isso, criar a cultura de agir de forma rápida e consistente para que essas demandas não fiquem pendentes.

5. Insatisfação com a proposta atual

Nem só das “leis do mercado” vive o rebranding. Muitas vezes a satisfação pessoal e profissional dos gestores da empresa e também da equipe pode ser um excelente motivo para fazer um rebrading.

Inclusive, diversas empresas de destaque tiveram nessas mudanças o seu grande ponto de alçada, saindo da zona de conforto e se reposicionando de forma a alimentar o seu novo propósito de atuação.

Como resultado, o reconhecimento acabou surgindo naturalmente e muitas vezes indo além do esperado.

Caso você tenha identificado qualquer um desses sinais, então é hora de botar as cartas na mesa e pensar na melhor estratégia de reposicionamento para a sua empresa.

Gostou deste artigo? Que tal compartilhá-lo em sua rede social? Assim, muitas outras pessoas poderão ter acesso a essas informações!