Como lidar com as guerras de preços que os concorrentes insistem em fazer?

Por Luiz Fernando, | Categoria: Marketing Digital

Como lidar com as guerras de preços que os concorrentes insistem em fazer?

Uma estratégia que muitas empresas desesperadas usam para tentar dominar o mercado é a redução dos valores cobrados pelos produtos e serviços oferecidos, provocando uma intensa guerra de preços, visto que a concorrência começa a buscar maneiras efetivas de combater as ofertas.

Nem sempre essa atitude é funcional para as organizações, já que pode ser prejudicial aos resultados e ao crescimento do negócio, trazendo consequências negativas e até mesmo eventuais sequelas para a companhia.

Esse tipo de guerra não é uma batalha para pequenas empresas e, geralmente, quem a inicia tem a intenção de quebrar a concorrência, que se vê obrigada a fazer uma redução drástica do valor cobrado. Com isso, muitas organizações acabam sacrificando a lucratividade da organização, o que pode levar um negócio à falência.

Quer saber como contornar esse cenário e melhorar a sobrevivência da sua empresa no mercado? Então, continue lendo este texto!

Agregue valor aos seus produtos e serviços

Uma ótima maneira de sair imune a uma guerra de preços é não restringir o foco à alternativa de baixar os valores e optar pela diferenciação dos produtos e serviços. Conseguir agregar valor à excelência do que a empresa tem a oferecer é um diferencial com o qual a concorrência nem sempre está pronta para lidar.

Um exemplo disso é o caso dos salões de cabeleireiro. Nesse segmento, mesmo que os concorrentes do segmento ofereçam descontos surreais, quase sempre oferecem serviços com qualidade duvidosa. O público sempre vai preferir um lugar que oferece um serviço de qualidade, seja na técnica dos profissionais, no suporte, no pós-vendas e no atendimento ao cliente.

Veja se há (realmente) a necessidade de diminuir os preços

É importante entender como o seu público responde a uma guerra de preços e, antes de tomar uma medida drástica, verificar a real necessidade de abaixar os valores. Isso acontece porque muitas vezes os consumidores da empresa não mesmo conhecimento do que é oferecido pela concorrência. Ou seja, entrar em uma batalha como essas pode, muitas vezes, ser desnecessário.

Investigar a razão que os concorrentes abaixaram os preços também pode ser uma solução interessante, já que em alguns casos trata-se apenas de uma queima de estoque de produtos parados, por exemplo.

Evite entrar em uma guerra de mercado

A principal intenção da concorrência ao abaixar os preços é “quebrar” as empresas rivais. Por isso, eles reduzem os valores, esperando que as demais organizações do segmento também o façam, com a esperança de continuarem vendendo e tendo lucros, ainda que com o risco de perderem a competitividade a ponto de simplesmente fecharem as portas. Quando isso acontece, a empresa que iniciou a redução aumenta de novo os seus preços e monopoliza o mercado.

Essa estratégia é muito comum em grandes companhias, que acabam se beneficiando (e muito!) com o fechamento dos competidores. Uma estratégia válida é ignorar a baixa de preços, já que ela não vai prosseguir por muito tempo. Depois de um determinado tempo, a empresa que diminuiu os valores tendem a igualá-los aos da concorrência ou até mesmo torná-los superiores, já que precisam recuperar o tempo perdido.

O propósito de uma guerra de preços é que, durante um momento de crise de varejo, abaixar os valores pode ser uma maneira efetiva de despertar o interesse dos clientes. O problema é nem sempre isso funciona considerando que nem sempre o comportamento  do consumidor é previsível. Por isso, é muito importante ficar atento às estratégias válidas para o seu modelo de negócio e o segmento em que sua empresa atua.

Gostou deste texto? Então, aproveite e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais, para que seus amigos possam ter acesso a este material!