O debranding é o futuro do branding? Saiba mais sobre a tendência

Por Andrei W. Müller, | Categoria: Marketing Digital

O debranding é o futuro do branding? Pois bem, sabemos que o branding reúne diversas estratégias de gestão de uma marca, entre as quais podemos citar a construção de uma identidade, a definição de ações a serem desenvolvidas e a formação da imagem do público em relação àquela empresa.

Tal conceito é muito utilizado, funciona e seguirá funcionando. No entanto, como nada é imutável, principalmente em um mundo com inovações constantes, o branding passará por novas abordagens. E, a uma delas, dá-se o nome de debranding.

No post de hoje, entenda como ele funciona. Boa leitura!

O que é debranding?

O debranding entende que a forma atual de fazer branding, que tem como grande intuito construir e elevar a imagem de uma marca, não poderá ser aplicada com a mesma ênfase no futuro. Isso porque as mudanças de comportamento do consumidor, que acontecem cada vez mais rápido, vão levá-lo a um novo padrão.

A partir disso, será necessário que a marca crie estratégias para se desconstruir. E como isso será feito? Por meio de ações mais sutis, que não representem um marketing tão agressivo.

O debranding também trabalha com o conceito de que o valor agregado à marca, o que justifica uma precificação acima da concorrência, não terá tanto espaço em um futuro breve. Dessa forma, as empresas vão investir mais no desenvolvimento de produtos do que em marketing.

Como ele impacta o posicionamento das marcas?

O branding é um guia para o melhor posicionamento das marcas como um conceito que vai além dos produtos oferecidos. Há inúmeros exemplos de produtos que representam mais do que a aquisição de um item, mas sim de um estilo de vida.

Logo, é natural que a estratégia seja direcionada nesse sentido, pois favorece uma maior recorrência de vendas. No debranding, porém, essa ideia é deixada de lado para dar lugar a outra que permita “vender o produto pelo que ele é”.

Isso implica, inclusive, um menor apelo visual e um maior foco em descrições detalhadas dos produtos, o que permitirá ao cliente entender melhor o que consome.

E o comportamento dos consumidores?

O debranding trabalha com a ideia de que o comportamento do consumidor trará um viés mais estratégico para as suas escolhas. Isso não significa que ele gastará menos, mas que será capaz de comprar melhor com o montante disponível.

Essa ideia traz à tona a necessidade de criar soluções cada vez mais completas, que, realmente, sejam capazes de resolver os problemas das pessoas de forma eficaz e por um preço justo.

Portanto, podemos dizer que “vender soluções” representará um direcionamento mais preciso do que simplesmente “vender a marca”.

Afinal, qual será o seu futuro?

Como vimos, o debranding é um conceito em desenvolvimento e representa uma nova abordagem do já tradicional branding. Além disso, podemos dizer que ela é polêmica e tende a não ser bem vista por muitos profissionais da área.

Sendo assim, é possível que as teorias trabalhadas pelo debranding venham a se confirmar ou não. Ter dúvidas sobre isso é natural quando estamos falando de qualquer nova tendência.

Considerando esse aspecto, é fundamental acompanhar a sua evolução, pois é isso que permitirá a você se adiantar às mudanças e criar estratégias mais competitivas.

Gostou deste post? Então, aproveite para conhecer os benefícios da aplicação do branding para pequenas empresas!